sábado, junho 03, 2006

Quando, o amor

Ficara claro desde o início, porque assim ele fizera questão.
Não haveriam de apaixonar-se um pelo outro, não.
"As paixões são para os incautos" , dizia ele.
Quando partia, era sempre sem revelar seu destino, e sem nunca precisar o momento de sua volta.
Ela nunca sabia quando, o reencontro.
E eram únicos os momentos compartilhados.
Ele podia passar horas discorrendo sobre os mais diversos assuntos.
E ela, ouvidos atentos, sem perder palavra.
Gostava de deixar-lhe pequenos mimos, bilhetinhos, recadinhos.
Na porta da geladeira, no espelho do banheiro, na porta do armário, nos bolsos.
Sem declarações de amor, porém.
Fora o convencionado. Ela cumpria, sempre.
Ele nunca retribuía, nunca.
E por mais que o combinado tivesse sido aquele, sentia-se de alguma forma negligenciada, deixada de lado.
Não demorou para que tomasse a decisão de não voltar mais.
Não havia compromisso.
Não havia. Não voltaria, então.
E num daqueles dias de sol e céu azul, em que ele costumava vir, ela não apareceu.
Ele estranhou, mas não deu importância. Algo devia ter acontecido.
Voltou nos dias que se seguiram, todos os dias.
E ela não estava lá, onde sempre estivera.
Não respondia seus chamados no telefone.
Semanas se passaram, e a ausência que antes incomodava agora doía.
Num daqueles dia em que atrasado, mal tinha tempo para o desjejum, o copo de leite sobre a mesa, não conseguia encontrar as chaves do carro.
Lembrou-se da chave extra, guardada no bolso de um paletó, em seu armário.
Ao enfiar a mão no bolso em busca da chave, encontrou o bilhete, cuidadosamente dobrado. Ao abrir, reconheceu a caligrafia.
"Amo. Eu amo. Ah, como eu amo!
E assumo toda a minha culpa.
Adeus."
Sentou-se na cama, o nó na garganta.
Agarrou o telefone, os dedos nervosos, a voz trêmula ao chamá-la.

"Oi..." ela disse.
Ele dispara:
"Eu não sabia, que você...que eu...Volta?"
"Volto... claro que eu volto! Eu nunca fui..."

Desligou, aliviado.
Não foi trabalhar.
Passou o dia a vasculhar gavetas, armários, bolsos e livros.
Procurava pelos bilhetes, papéis dobrados.
Queria saber, descobrir.
Onde, quando, como.
O amor.

2 comentários:

  1. muito boM! adorei seu blog.. abraços!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso blog... O template é lindo demais e os textos tb são bons pra caramba, gostei muito....
    Meus sinceros parabéns

    ResponderExcluir