sábado, julho 01, 2006

Se...

... ao acaso,
Um dia assim de repente...
Você me perguntasse como, de que maneira, ou quando.
Talvez eu dissesse: me vi perdida.
Perdida fiquei, perdida estou.
(Irremediavelmente)
Se então me perguntasse porquê.
Porquê você, logo você.
Então desta feita eu saberia sim,
Dizer dos motivos:
São muitos, e tantos.
Incontáveis.
Incontestáveis.
(O sol é repetitivo, a lua também)
Por isso mesmo eu sei.
Ela jamais virá.
A pergunta.
Pois que ela seria o reconhecimento.
Um quase consentimento.
Não.
Ela não virá.
E não terei nunca a chance de responder.
Como.
Quando.
De que maneira.
Porquê.
Quanto.
Você.

2 comentários:

  1. Oi.. nossa eu toh virando fã do seu blog.. tenhu um tbm.. gosto de escrever porem ando meio sem tempo.. mas eh.. discuto somente a minha vida nele.. mas gosto muito do seu!

    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Adorei o teu blog, até ja peguei um textinho daqui, espero que não se importe, continue escrevendo que continuarei te lendo. Bjinhu

    ResponderExcluir